COBAP repudia possível incorporação da Previdência no Ministério da Fazenda

Essa é uma das fusões que estão sendo estudadas pela equipe de Temer para que o número de ministérios

Por: Richard Casal

 

O presidente da COBAP, Warley Martins, já está arregaçando as mangas para lutar com unhas e dentes contra uma possível fusão da Previdência Social dentro do Ministério da Fazenda.

Orientado pelo ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles, o vice-presidente Michel Temer decidiu levar a Previdência para a Fazenda, como estratégia para garantir que o endurecimento das regras para a aposentadoria no Brasil seja colocado efetivamente em prática.

O senador Paulo Paim concorda plenamente com Warley e já se colocou a disposição da COBAP para combater esse novo absurdo.

“A incorporação da Previdência Social no Ministério da Fazenda é o ponto de partida para retirada de direitos dos trabalhadores e achatamento dos benefícios dos aposentados e pensionistas. Resistir é preciso”, disse Paim.

Segundo o senador, no Ministério da Fazenda ninguém se importa com o sistema previdenciário.

“A fiscalização das contribuintes previdenciárias praticamente desapareceu em menos de 8 anos com a unificação das fiscalizações. Portanto, será o desmonte do sistema de Previdência Social, se essa incorporação vingar”, prevê Paulo Paim.

Essa é uma das fusões que estão sendo estudadas pela equipe de Temer para que o número de ministérios caia a algo em torno de 23, ante os atuais 32 cargos na Esplanada.

A mudança de postura do vice se deve às críticas dos últimos dias de que ele estaria repetindo a prática de Dilma de “lotear” os cargos na Esplanada para garantir o apoio dos partidos para o governo.

Dois prováveis ministros do governo Temer confirmaram a mudança e anteciparam que a ida da Previdência para Fazenda deve sofrer resistências. Essa mudança, se confirmada, será histórica e deve ser bombardeada pelos sindicalistas, movimentos sociais e até pelo corpo técnico do órgão.

Warley pede para que os internautas de todo o Brasil manifestem publicamente seu repúdio contra a possível incorporação, bombardeando as redes sociais de órgãos públicos e parlamentares.

 

Fonte: Site da COBAP

Deixe uma resposta